RESENHA | "OS GATOS DE ULTHAR" de H. P. Lovecraft por Leander Moura - Parágrafo Cult

RESENHA | "OS GATOS DE ULTHAR" de H. P. Lovecraft por Leander Moura

Publicado em terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

 
Editora: Diário Macabro  |  Páginas: 88  |  Ano: 2020  |  Gênero: HQ, Graphic Novel, Horror, Terror


Imagino que já tenha dito aqui para vocês o quanto gosto de Lovecraft. Acho que apesar de todas as problemáticas envolvendo o autor, ele era incrível em suas escritas (mas admito que quando ele é ruim, também consegue ser BEM ruim haha). Quem me acompanha pelo instagram, sabe bem que sou muito mais ativa por lá, por motivos de praticidade, já que é bem mais fácil planejar postagens etc pelo celular. 


"Os Gatos de Ulthar" é um dos meus contos favoritos de Lovecraft porque tem tudo o que eu gosto: é sombrio, misterioso e com muitos gatos. Sem contar que na obra, muito do "terror" presente é para ser imaginado, algo que é bem comum nas obras do autor que usa muito da imaginação do leitor para criar toda aquela aura de medo. 

Por conta disso, antes de eu começar a leitura, me peguei imaginando como trariam isso para as páginas sem usar das palavras mas aqui, o Leander fez isso muito bem já que as imagens com o preto se sobressaindo e com os olhos em muitos momentos em destaque, trouxe para a sua versão de Os Gatos de Ulthar aquela mesma aura sombria do conto.


As pessoas de um pequeno vilarejo tem medo de um casal de idosos que mora em uma casa escondida na mata e deteriorada. Esse medo não se deve apenas a aparência e comportamento estranho do casal, como também ao fato deles terem o costume de matar todos os felinos da redondeza que se aproximam de sua propriedade, os gritos dos animais durante a noite apenas mostram que seus métodos não são lá muito pacíficos. 

Os moradores por medo do que os idosos poderiam fazer a eles, apenas lamentam a morte de seus bichanos mas nada fazem. Certo dia, uma caravana de viajantes vinda de um lugar desconhecido ao sul chega na cidade. Dentre os viajantes que vieram em carroças com estranhos criaturas com cabeças de gato desenhadas nas laterais, havia um garotinho órfão com seu gatinho, único presente deixado por seus pais. 


Ele e o seu gato eram muito próximos, felizes. No terceiro dia dos viajantes no vilarejo de Ulthar, o gatinho preto do jovenzinho desaparece e ao verem o garoto aos prantos, os moradores lhe contam do casal e seu hábito de assassinar os felinos. O garoto então para de chorar e faz uma prece e não demora para que coisas estranhas aconteçam ao casal e aos gatos do local.

Não vou contar muito para não denunciar o desfecho mas Os Gatos de Ulthar fala de vingança e respeito com os outros seres vivos. A obra não tem muitos escritos, a aura sombria se deve as imagens contrastantes do nanquim com detalhes brancos. 

A edição da Diário Macabro tem a capa aveludada e traz o ensaio "Cães e Gatos" onde o próprio Lovecraft conta sobre seu amor (e preferência) pelos gatos e algumas outras ilustrações feitas pelo Leander Moura relacionadas ao conto, uma ilustração mais bonita do que a outra. Uma obra feita de forma impecável mesmo eu sendo suspeita para falar.


Caso tenham interesse em adquirir essa ou qualquer outra obra da Editora Diário Macabro, o Parágrafo Cult tem um cupom de 10% de desconto na loja da DM


CUPOM: PARAGRAFO


GOSTAM DE LOVECRAFT? CONHECIAM ESSA OBRA?

4 comentários:

  1. Oi, como vai? Particularmente gosto bastante das obras de Lovecraft. Este aí é um dos meus preferidos do autor. Abraço!



    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Achei bastante interessante, já tinha ouvido falar mas não cheguei a procurar, agora após sua resenha, doida para ler

    Beijos
    www.pimentadeacucar.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, garota!

    Desconhecia esta adaptação para os quadrinhos e posso apenas concordar contigo quanto à arte: espetacular e deu contornos sombrios à obra original.

    Sobre: "é sombrio, misterioso e com muitos gatos", nossa, parece que isto foi para mim. Gosto da noite, durmo tarde e sou fã de mistérios. E tenho vários gatos, todos já velhinhos. Cheguei a ter dez, mas foram morrendo... Perdi dois envenenados por um velhote safado. Canalhas abusam da idade avançada para agirem impunemente. Mas botei o safado na parede e ele investiu uma grana numa espécie de grande rede que, hoje, impede gatos de entrarem em seu enorme quintal.

    Ele soube que eu sabia, e ficou com medo.

    Bela fotografia, como sempre.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Eu não conhecia esse livro, confesso que não fiquei muito interessada pela leitura mas, amei a capa.
    Beijos.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir