RESENHA | "O CENTAURO NO JARDIM" de Moacyr Scliar

em terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

Foto: Larissa | @Paragrafocult
Editora: Companhia das Letras | Páginas: 240 | Ano: 2004 | Gênero: Fábula, Ficção

Sinopse: No interior do Rio Grande do Sul, na pacata família Tratskovsky, nasce um centauro: um ser metade homem, metade cavalo. Seu nome é Guedali, quarto filho de um casal de imigrantes judeus russos. A partir desse evento fantástico, Moacyr Scliar constrói um romance que se situa entre a fábula e o realismo, evidenciando a dualidade da vida em sociedade, em que é preciso harmonizar o individualismo e coletividade. A figura do centauro também ilustra a divisão étnica e religiosa dos judeus, um povo perseguido por sua singularidade. Guedali cresce solitário, excluído da sociedade, e o isolam,ento o leva a cultivar o hábito da leitura. Inteligente e culto, é ele quem conduz a narrativa, feita a partir do dia de seu 38º aniversário, comemorando entre amigos em um restaurante de São Paulo. O centauro rememora a sua vida desde o seu nascimento em Quatro Irmãos, passando pela juventude em Porto Alegre, onde se casa com Tita - também centaura-, até chegar ao Marrocos, onde o casal vai tentar uma cirurgia que os transforme em pessoas normais. Depois de inúmeros percalços, Guedali acaba voltando para São Paulo e o desenlace desconsertante de suas lembranças completa com profundidade essa narrativa provocadora. 
Para compensar o mês de janeiro do qual eu li demais, em fevereiro eu descansei a mente das leituras e por isso li apenas uns cinco livros. Uma dessas leituras se mostrou uma gostosa surpresa já que eu o comprei sem saber nada da história. Tinha passado por um sebo e estava olhando os títulos despretensiosamente. Acho que de tanto ficar garimpando obras pelos sebos daqui das redondezas, sempre que entro em um, fico batendo um bom papo com os vendedores que já devem estar cansados da minha cara por lá. Nesse dia, estava em dúvida entre A Rainha dos Condenados da Anne Rice e Torre Negra III do Stephen King, porém o vendedor me apareceu com esse livro aqui. Capa simples, nome estranho e um autor que nunca ouvira falar. Me disse que a obra era muito boa e me contou uma curiosidade, que o livro A Vida de Pi (sim, aquele do filme que ganhou vários Oscars) foi um plágio de uma obra do Moacyr Scliar. Eu não sei muito sobre, mas a obra do Moacyr que se assemelha muito a do filme e livro do autor Yann Martel, se chama Max e os Felinos e é basicamente sobre um jovem que fica preso em um bote com um jaguar após um naufrágio. 

"Aos poucos a sensação de diferença, de bizarria, me impregna, incorpora-se ao meu modo de ser; antes mesmo da pergunta - inevitável e temível: por que sou assim? O que aconteceu, para que eu nascesse desse jeito?"

Isso, claro, atiçou a minha curiosidade e deixei para trás os dois livros que antes me deixavam em dúvida sobre qual levar e escolhi esse. Posso dizer que não me arrependo. Que leitura boa. Não, esse não foi um livro perfeito, muito menos uma leitura que poderia agradar a todos os tipos de leitores mas ainda sim, foi uma leitura boa, diferente e profunda.

"E isso que é um médico calejado na profissão: já viu muita coisa, muito caso escabroso. Mas centauro nunca tinha visto. Centauro ultrapassa as fronteiras de sua imaginação. Centauro não figura em manuais médicos."

Como ponto central do livro, temos a família russa Tratskovsky. Eles são uma família judia simples e normal, um casal com três filhos e esperando o quarto integrante. Tudo ia bem. Quando finalmente o caçula nasce, todos levam um choque: ao invés de um bebê comum, nascera então um centauro. Da cintura para cima havia um ser humano bonito e de pele macia mas da cintura para baixo, pelos grossos adornavam um torso de cavalo. 

O pequeno recebe então o nome de Guedali. Por conta de sua aparência peculiar e diferente, o rapaz cresce completamente solitário. Com exceção do irmão mais velho que não parece gostar dele, suas duas irmãs e seus pais, após o choque inicial, o tratam muito bem. Ele está feliz com a família que tem e que o ama mas se sente incompleto e essa exclusão em que está vivendo faz com que cresça um rapaz muito inteligente, já que a leitura se tornou sua melhor amiga. 

"O tempo passa, a gente deixa de se amar, e fica se perguntando, para que afinal serve a vida? Para nada, parece. Todas as tardes, quando fecho o escritório, penso: mais um dia se foi, esse dia não incomoda mais."

O livro todo é narrado pelo próprio Guedali durante o seu aniversário de trinta e oito anos. Ele nos conta tudo, desde o momento em que nasceu. Comecei a leitura com o pé lá atrás, afinal, um livro com um centauro como personagem principal não era algo que me deixasse extremamente curiosa pelo desenrolar da trama. Moacyr Scliar consegue passear de forma majestosa pelo realismo - através dos dilemas e frustrações de Guedali - e pela fantasia - já que o mesmo é um centauro, um ser mítico. Mesmo Guedali não sendo humano, é muito fácil de se identificar com ele. Ele não é perfeito. Em muitos momentos somos levados a sentir raiva de suas escolhas e sentimentos, de seus desejos porém seus medos e dilemas são bem reais mesmo para nós.

Quando terminamos a obra, a sensação de que fica foi que não lemos algo que se limitava apenas a centauros. Vai muito além disso. Em dado momento, Guedali parte com Tita - uma outra centaura que por obra do destino, acaba conhecendo - para o Marrocos a fim de fazer uma cirurgia para mudar sua forma, tentando assim se tornar humano. Esse foi de longe um dos meus momentos favoritos do livro. Ver todo o questionamento que ele faz a si mesmo, se era realmente aquilo que desejava, se tirar aquela parte dele que o acompanhara a vida toda seria realmente a resposta e o caminho correto para a sua felicidade. 

"Jogando ou não violinos no rio, tentando ou não me matar, encontrando ou perdendo um amigo, vou vivendo."

A única parte que me desanimou da leitura foi que lá pela metade do livro, a história se tornou um pouco "novela da Globo" por conta de uma cadeia de acontecimentos. Isso não diminuiu a qualidade da obra em si porém acaba atrasando um pouco a leitura porque na parte em que essa sensação novelesca predomina, o enredo destoa um pouco do todo, porém logo volta ao normal. 

Não é um livro longo, a leitura é calma e simples, ótima para quem gosta de refletir e absorver o que lhe foi dado. Pude entender o motivo que levou essa obra a ser traduzida em diversos idiomas e os prêmios que ganhou. A fama de Moacyr Scliar se fez bem clara para mim. Espero em breve poder ler outros livros do autor e que a minha experiência com elas seja tão boa quanto ou melhor do que a que tive com essa. 

Nota: 4,0 / 5,0

43 comentários , comente também!

  1. Oi, Larissa como vai? Este livro é excelente, o li há muito tempo atrás, confesso que não me recordava muito da obra devido ao longo tempo que li este livro. Os livros de Moacyr Scliar costumam ser muito autênticos no quesito literário de suas obras. Se puder leia outros livros do autor, pois vejo que você irá se agradar deles. Adorei sua resenha. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Larissa.
    Não conhecia o livro, mas achei a premissa, e todo o tom da história interessante. Anotei a dica.
    Bjus

    ResponderExcluir
  3. Oi Larrisa, achei diferentona essa dica heimm! Eu também não tinha ouvido falar do livro, gostei do título e da capa, gostaria de ler!

    Beijos Mila

    ResponderExcluir
  4. Ótima resenha, mais um livro que vai para a minha lista. Eu não conhecia a história e achei excelente o autor conseguir explorar muito bem a sua história, isso faz valer a pena mesmo quando há um ponto fraco na narrativa.

    Beijos
    http://www.leiapop.com/

    ResponderExcluir
  5. Já tinha ouvido falar do autor, mas ainda não li nada dele. Não conhecia esse livro e fiquei com vontade de ler. Estou chocada que as Aventuras de Pi é um plágio de um dos livros do Moacyr, porque já li (agora preciso ler o do Moacyr para ver isso). Muito bacana a postagem :)

    https://www.biigthais.com/

    Beijoos ;*

    ResponderExcluir
  6. Oi Larissa, tudo bem?

    Eu nunca li nada do autor, mas me pareceu uma leitora bem rica! Eu ri da parte da novela da globo, mas entendi seu ponto rs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Oi Lari, tudo bem?
    Li esse livro pro vestibular, em 2013, e gostei. Concordo super com a parte novela da Globo, especialmente quando ele se envolve com a esfinge. Mas achei bom (não espetacular, mas bom).
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  8. Olá, Larissa.
    É tão interessante ver os motivos que nos levam a conhecer novos autores. Num primeiro momento eu não leria esse livro mas lendo sua resenha fiquei bastante interessada na obra e no autor. Se der vou ler com certeza.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu sempre amei livros desse tipo, desde pequena me fascinava com as histórias e magia. Amei sua resenha, me deu nostalgia.

    Beijão!
    Lumusiando

    ResponderExcluir
  10. Que enredo diferente, já deu vontade de ler para saber mais da história. Ainda não li nada desse autor e parece muito bom
    beijos
    http://www.dearlytay.com.br/

    ResponderExcluir
  11. "apenas uns cinco livros"

    Leu foi bastante, ora.

    Cara, adoro Scliar. Especialmente ele contista, pois evita esse rame-rame em romance onde tudo acaba virando novela global.

    Em minha adolescência, sua ficção fantástica foi bastante presente.

    Sobre o plágio em "Pi", deveras, não há como negar.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Olha, fiquei bem curioso por esse livro. Acho que vou dar um jeito de encontrar. Provavelmente, a figura do centauro (ou seria fauno???) Foi propositalmente para nos apresentar questões humanas a serem refletidas. Mesmo que não seja, a obra de alguma forma despertou meu interesse. Parece ser um pouco água com açúcar. Se ela fosse um tanto mais sombria, seria ainda melhor. Mas é aquela coisa que sempre digo: "Leia e tire as próprias conclusões".
    Tenho um pé atrás com a Companhia das Letras, mas fiquei com vontade de conhecer essa obra. Muito obrigado por compartilhar algo que parece tão interessante.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Lari

    Eu tinha escrito um comentário, mas acho que deu erro na hora de enviar. :(
    Falei que não conhecia nem o livro e nem o autor, e por mais que pela sua resenha dê pra ver que trata-se de uma trama nada habitual, creio que não seria uma leitura que iria me agradar.
    No entanto, espero que você consiga conhecer o catálogo do autor mais profundamente e que as próximas história sejam tão interessantes quanto esta.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  14. Olá, Larissa!
    Já ouvi falar no título, mas nunca o li.
    Espero que tenha gostado :)
    Beijinhos


    http://tudosoblinhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Oi Larissa,
    Não conhecia o livro, tive que pesquisar no google para saber se a capa era assim, ou se você a tinha dobrado, rs.
    E que babado isso das Aventuras de Pi, não sabia não!
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Oi Larissa!

    Eu já tinha ouvido falar nesse plágio relacionado ao livro As aventuras de Pi. Inclusive o autor que sofreu plágio é brasileiro né? Apesar disso eu não conhecia outros livros dele. Esse parece ser bem legal e diferente. Nunca parei pra pensar em como seria um livro tendo como ponto de vista uma criatura mística, parece interessante

    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Difeente de tudo que eu já li! Também não conhecia o autor mas a história parece ser sobre algo tão delicado e profundo muito além da fantasia!Eu amei demais <33

    Primavera Agridoce ♥️♥️♥️

    ResponderExcluir
  18. Menina também não sabia dessa história de plagio hahah já quero ler ambos pra comparar!
    É tão bom quandp nos recomendam algo fora da nossa zona de conforto e dá certo! Gostei de conhecer também e lerei quando tiver oportunidade!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  19. Oie Lari!
    Eu não conhecia esse autor antes da sua resenha, mas achei curioso e acho que leria sim. Infelizmente uma parte destoada, mas ao mesmo tempo parece que traz ótimas reflexões... Achei interessante ;)

    Beijocas da Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir
  20. Oi Lari!
    Nao me vejo muito lendo esse tipo de livro. Apesar dos elogios, não e muito meu estilo. Mas que bom que agradou tanto. Se causou reflexão, entao e algo positivo.

    Abraços
    Emerson
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  21. Ai amiga, eu provavelmente iria adorar a leitura, mas assim como você, me desanima quando a leitura começa a ter uma certa enrolação.

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  22. Oi
    não conhecia nem o livro e nem o autor, legal que sempre vai em sebo e que conversa com o pessoa de lá e graças a isso recebeu uma boa dica, fiquei curiosa com esse caso de plagio que comentou, que bom que foi a boa leitura.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  23. Olá!
    Gostei muito da sua resenha, aqui quase não vejo sebos mas, gosto de comprar alguns livros sem saber nada da história, muitas vezes comprei livros assim e os livros viraram meus preferidos rs
    Gostei de saber que em fevereiro conseguiu descansar um pouquinho a mente já que em janeiro você leu muito, mesmo assim achei que você leu muito bem em fevereiro também.
    Concordo quando você fala que desanima um pouco quando o livro vira meio um roteiro de novela da Globo, as coisas/ acontecimentos ficam previsíveis e isso me cansa um pouco também.
    Beijocas.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Um livro que não conhecia, mas que tem um tema bem interessante, essa parte que fale dele querer ser humano, me lembra muito alguns questionamentos da minha adolescência em que eu queria ser igual todo mundo para me encaixar, mas hoje percebo o quão bom é ser diferente.
    https://www.charme-se.com

    ResponderExcluir
  25. Amei sua resenha, nunca li nada desse autor, mas fiquei curiosa depois da sua resenha! ❤

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  26. Ter um centauro como personagem é realmente bem diferente e curioso. Nunca tinha ouvido falar dessa história. Interessante.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  27. Que interessante esse livro!
    Me lembrou de umas histórias de centauro que meu professor de história contava na época da escola.
    Curti! :)

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Não conhecia e achei interessante, gostei da sua resenha. Não se leria ele mas parece ser um bom livro

    Beijos
    www.pimentadeacucar.com

    ResponderExcluir
  29. Eu já tinha ouvido falar sobre Max e os Felinos, mas não tinha associado o nome do autor. Plágio é horrível né?!
    Apesar de inicialmente a obra parecer estranha, confesso que eu leria esse livro. Gostei da abordagem e justamente me senti curiosa com o desfecho de algo tão esquisito, como ser um centauro, haha.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  30. Eu não conhecia o livro, nem o autor (apesar de achar o nome dele familiar). Não é meu estilo de leitura, mas que bom que foi uma agradável surpresa pra vc!
    Não sabia dessa história de plágio do Pi... Gente, que babado! Fiquei curiosa, agora, sobre esse outro livro dele. Esse eu leria, hehe!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    Romantic Girl

    ResponderExcluir
  31. Olá,

    Não conhecia o livro e nem o autor, mas a trama é bem interessante e diferente das coisas que eu leio.
    Não sei se leria agora, mas fiquei curiosa.

    Bjs e um bom fim de semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  32. O livro parece bem conhecido, porém eu ainda não tinha tido contato com a obra. Leituras que nos fazem refletir são ótimas e eu sempre aprecio.

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  33. Oii Larissa, tudo bem?
    Eu conheço esse autor, acho que tinha um livro dele perdido aqui em casa rs. Mas nunca li nada dele. Que interessante essa história do plágio e infelizmente a cópia ficou mais famosa que a original, uma pena. Achei interessante a premissa do livro e que bom que ele foi uma surpresa para você e te agradou.
    Beijos
    https://treesdedezembro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  34. Oi Larissa, achei curioso... fiquei com vontade de ler. Bjo

    ResponderExcluir
  35. Oie, td bem?
    AAAAA vc é fã do King, eu tb! Inclusive postei um vídeo no instagram sobre a série "Castle Rock" e postarei sobre "The Outsider", vc chegou a assistir essas séries?
    Quanto ao livro, me interessei bastante, porém também não gosto quando tem muita enrolação, mas acho que mesmo assim vale a leitura!
    Beijos
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br

    ResponderExcluir
  36. Oi, gostei que a história se passa em nossas terras rsrs.
    Depois de um tempo ausente, tô de volta!

    E quero te ver novamente por lá. Até!



    Obs: Estou em um novo endereço, mundoalternativo! ;)

    ResponderExcluir
  37. Oi, Larissa!
    Ainda não conhecia esse livro, mas fiquei curiosa, principalmente devido a ligação do filme que tanto conhecemos.
    É sempre muito bom receber essas indicações de leituras que nos surpreende.

    Beijos
    Construindo Estante || Instagram

    ResponderExcluir
  38. Hey Larissa! Tudo bem?
    Realmente, também é a primeira vez que vejo falar nesse autor e nesse livro. As vezes temos essas gratas surpresas com as leituras.
    Obrigada por comentar lá no blog.
    Se cuida e Volte sempre!

    | Blog Misto Quente |

    ResponderExcluir
  39. Não conhecia mais achei interessante.
    Ótima resenha.

    www.paginasempreto.blogspot.com.br

    Beijos

    ResponderExcluir
  40. Não conhecíamos de todo a obra. Ultimamente temos perdido um pouco o foco de ler. No entanto, com esta quarentena as coisas voltaram a normalizar e começamos a ter mais tempo para ler.

    Beijinhos,

    https://damselme.blogspot.com/?m=0

    ResponderExcluir
  41. Olá, tudo bem por aí?

    Achei a capa bem simplista e muito bonita. Eu não conhecia a obra nem o autor, se sim, faz muito tempo que ouvi falar e não me recordei. Mas enfim, eu achei a premissa um tanto curiosa e fiquei dividido quanto pesquisar mais sobre a obra ou não. Por via das dúvidas, irei fazê-lo, já que te surpreendeu. Quem sabe eu goste também.

    Abraços!
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir
  42. Olá, tudo bem por aí?

    Achei a capa bem simplista e muito bonita. Eu não conhecia a obra nem o autor, se sim, faz muito tempo que ouvi falar e não me recordei. Mas enfim, eu achei a premissa um tanto curiosa e fiquei dividido quanto pesquisar mais sobre a obra ou não. Por via das dúvidas, irei fazê-lo, já que te surpreendeu. Quem sabe eu goste também.

    Abraços!
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir